A Associação Brasileira de Medicina de Emergência (ABRAMEDE) manifesta-se publicamente sobre a grave crise que acomete o sistema de saúde do estado do Amazonas, em particular na cidade de Manaus.

Nós nos solidarizamos com os nossos colegas Emergencistas que estão, efetiva e diariamente na linha de frente no combate à COVID-19 no estado amazonense. O verdadeiro desespero contido nos relatos da falta de mínimas condições para assistência que nos têm chegado, como a não disponibilidade de oxigenoterapia e leitos para pacientes graves, nos causa profunda indignação e necessidade de imediata atitude.

A ABRAMEDE manifesta seu pedido de apoio às autoridades sanitárias e governos federal e estaduais para que ocorra a mobilização de recursos assistenciais destinados ao estado do Amazonas e para que seja garantido o direito constitucional de pleno acesso à saúde à população amazonense, bem como apoia também a imediata implantação do plano nacional de vacinação contra a COVID-19.

A ABRAMEDE, como representante da especialidade médica profundamente afetada nessa grave da pandemia, está atenta à nova onda crescente de casos e exige ações de real impacto, que possam evitar que o cenário caótico instalado no estado do Amazonas, estenda-se para o resto do país. Estamos em constante vigília, e nos solidarizamos com a entrega e o esgotamento das equipes de saúde que enfrentam a pandemia em todo o território brasileiro.

Nós conclamamos os gestores federais e estaduais a cumprirem com a sua responsabilidade, para as quais foram elencados sob o voto direto dos brasileiros, oferecendo aos médicos e profissionais da saúde as condições de trabalho adequadas para o combate deste cenário calamitoso.

Aos colegas Emergencistas, orientamos que sigam condutas embasadas nas melhores evidências científicas disponíveis e apoiem as iniciativas de vacinação e medidas de distanciamento social e uso de máscaras, e que cobrem e exijam condições adequadas de trabalho.

Basta do desrespeito sistemático ao direito à saúde para a população brasileira. Nossa população merece respeito e atenção, e nossos profissionais da saúde querem fazer o seu melhor, mas precisam de condições para isso! É hora do comprometimento de todos. O futuro julgará nossas ações de hoje.

Por fim, colocamos o Departamento jurídico da Abramede à disposição dos médicos emergencistas amazonenses, para que busquem a orientação e que medidas judiciais necessárias para o enfrentamento efetivo da crise possam ser tomadas se necessário. Os médicos emergencistas podem entrar em contato com nosso departamento jurídico pelo telefone 011 994436688 ou pelo e-mail henrique@prescendo.com.br.