Autor: Letícia Lemos Rios Vital
Post Peer Reviewed por: Henrique Herpich

A atividade em questão foi uma oficina prática, na qual após uma breve explanação teórica se seguiu com a simulação realizada por alunos e professor. A atividade teve como principal objetivo praticar com alunos da graduação as técnicas corretas para a imobilização e transporte seguro do paciente, abordando o uso de colar cervical, prancha rígida, imobilização pélvica, rolamento e movimentação do doente.

Para a realização ideal da oficina foi necessário materiais que não são tão fáceis de serem encontrados, a exemplo da cinta pélvica, tendo sido essa a principal dificuldade encontrada para a realização da atividade. O problema foi resolvido com o fornecimento de materiais pessoais e de outras instituições providenciadas pelo professor que ministrou a oficina. Porém, é válido ressaltar que o falta do material em questão não impossibilita a realização da oficina, visto que imobilização pélvica pode ser improvisada com lençol. 

A atividade foi ministrada por professor, bombeiro e médico ortopedista atuante no pré-hospitalar e contou com o auxílio de dois ligantes aptos a ajudarem o professor. O público alvo da oficina foram estudantes de medicina de qualquer semestre da graduação, tendo sido alcançado um público total de 15 estudantes. Ainda nesse contexto é importante elencar que a atividade pode ser estendida para um número maior de estudantes a depender da quantidade de material e do espaço físico.

A atividade foi realizada no laboratório de simulação da faculdade, tendo durado cerca de 2 horas, e necessitou de materiais como: colar cervical de diferentes tamanhos, KED, capacete, ataduras, pranchas rígidas, talas, lençol para imobilização pélvica, manequim e EPI. Além disso, foi muito importante a presença de um grupo de pessoas para que fizessem a simulação, incluindo o papel da vítima.

A oficina iniciou com uma explanação teórica a respeito de como agir diante do politraumatizado visando diminuir morbimortalidade ao manipular o doente, também recebeu foco o reconhecimento de lesões graves, como fratura de pelve, TCE e TRM. Foram abordados temas como a colocação do colar cervical em diferentes posições (decúbito dorsal, decúbito ventral e no carro), retirada de capacete, colocação do KED e retirada do veículo, colocação na prancha rígida, rolamento 90o e 180o e transporte do traumatizado.

Após exposição teórica foi mostrado para o grupo maior na prática como realizar cada etapa. Em seguida os participantes foram divididos em grupos menores para que pudessem praticar e sanar as dúvidas que apareciam durante a realização. Para que a prática se tornasse mais real, levando em conta as diferenças do peso e tônus entre uma pessoa real e o boneco, optou-se pela simulação com os próprios alunos no papel de vítima e não o manequim.

Diante disso, é interessante ressaltar que a prática foi muito enriquecedora, pois se tratou de uma atividade com um grupo pequeno, possibilitando que todos praticassem e tirassem suas dúvidas que surgiam ao longo da aula e também da prática. Além disso, por ter abrangido alunos de qualquer período, muitos tiveram o contato inicial com condutas do APH na oficina e puderam aprender como manipular de forma segura o doente para que não piorem lesões, bem como reconhecer tais lesões.

“Participar da oficina prática de imobilização e transporte foi muito interessante porque podemos ter contato com partes da prática que não vemos tão bem durante a faculdade, como o uso da cinta pélvica, já que na minha faculdade não tem, então só aprendíamos a usá-la na teoria e não na prática. Como ligante e estudante acabei assumindo dois papeis: o de auxiliar o professor, mas também de aprender o que ainda não sabia, assim, foi muito proveitoso para a fixação dos conhecimentos. “
(Marinna Karla da Cunha Lima Viana – Ligante LAUET PB)


Conheça a Liga:

LAUET – Liga Acadêmica de Urgência, Emergência e Trauma (@lauetpb)
Centro Universitário de João Pessoa (Unipê)
João Pessoa/PB

Cite esse post como: VITAL, L. L. R. Oficina Prática de Imobilização e Transporte. Ligas em Foco, Comissão Acadêmica da ABRAMEDE, mai/2021. Disponível em: https://abramede.com.br/oficina-pratica-de-imobilizacao-e-transporte/